Rolando no #ViveiroRenascer

Orquídeas | Dendrobium anosmum

O Viveiro Renascer inicia hoje uma série de postagens para caracterizar sobre alguns gêneros e famílias de orquídeas. A primeira é das Dendrobium anosmum.

São orquídeas da família Orchidaceae. Possuem longos caules em forma de cana, pendentes, de folhas opostas e decíduas, muito semelhantes às do gênero phalaenopsis. São originárias da Malásia e Indonésia, mas com a popularização de orquídeas podem ser encontradas em estufas e orquidários do mundo inteiro por serem resistentes ao clima extremo.
  • Um exemplar com floração lilás

Os caules podem  alcançar mais de um metro de comprimento, apresentando múltiplos nós envolvidos por uma espécie de bainha, envolvendo folhas opostas e grossas.

A floração acontece no fim da primavera ou no verão, com até 4 flores brotando de cada nó. As flores possuem um cheiro suave e agradável, o que parece contradizer o nome da espécie, pois anosmum significa sem odor em latim. A fragrância é acentuada se a planta for exposta a períodos de luz intensa (mas não a sol direto) procedidos de escuridão total.
  • Mesmo exemplar:

Deve receber água e adubo abundante no período de crescimento, desde o fim do inverno até ao verão. Necessita de um mínimo de água após a floração, a partir do outono, apenas quando e se os bulbos murcharem. As folhas amarelecem e caem, crescendo novamente na primavera. Prefere ficar suspensa, os caules crescem inicialmente para cima e caem depois. Poderá usar-se uma placa de cortiça ou até madeira bruta para servir de apoio aos caules suspensos. Após a floração, os nós emitem raízes criando os chamadas keikis, tal como nas phalaenopsis e em outras orquídeas do tipo, que podem dar origem a novas plantas.

©Viveiro Renascer 2017; Todos Direitos Reservados