Rolando no #ViveiroRenascer

Orquídeas | Vanda

A Vanda (Vanda ssp.) é uma orquídea de origem asiática, costuma ser encontrada em regiões pantanosas, semelhante a mangues, onde, mesmo quando não chove, a umidade do ar é muito alta. Pelas características dessa região é fácil imaginar qual o ambiente ideal para ela: calor, luz, ventilação, água e muita umidade.
  • Floração

Em condições ideais, pode florescer até quatro vezes por ano. Suas flores podem durar cerca de 30 dias e podem ter cores amarelo, laranja, vermelho, rosa, arroxeadas e ainda geneticamente modificadas.

Ainda quanto a flor, há muitas variações de tamanho e algumas delas podem ser cobertas com manchas ou listras. Se sua Vanda não está florindo, fique atento, pois alguma coisa estará errada. Pode ser por pouca água, pouca luminosidade, falta de adubação.



Se uma Vanda adulta, bem enraizada, com folhas de igual dimensão do topo à base, que está em clima adequado (temperaturas maiores que 18 graus), não florescer, é porque faltou iluminação ou rega constante ou adubação. Uma Vanda sem boas condições pode até florescer, mas sua haste será curta, com menos flores e de menor tamanho.
  • Rega

As Vandas apreciam bastante água direto nas raízes, mas não aceitam rega o tempo todo, e isso, pode causar o apodrecimento das raízes o que levará a sua morte.

Você pode molhá-la uma vez ao dia, no início da manhã ou no final da tarde. É aconselhado nos dias de calor intenso, além de intensificar a rega para duas vezes no dia, molhar o chão onde sua planta fica, pois aumentará a umidade do ar.

Raízes curtas em Vanda saudável e com bom desenvolvimento indica que ela está recebendo a umidade adequada. Já raízes longas e em excesso significam que o ambiente está um pouco seco ou as regas estão insuficientes. Perdas das folhas de baixo (próximas as raízes), também é sinal de falta de água, o que pode levar a morte da planta.
  • Temperatura 

A Vanda aceita bem clima quente e não suporta temperaturas muito baixas, diferentemente da Phalaenopsis. Em temperatura inferior a 15 graus, pode entrar em estado de repouso ou estagnação por vários meses, ou seja, não vai crescer e nem dar flores.

Se a temperatura atingir 30 graus ou mais, mantenha o chão bem molhado, para aumentar a umidade relativa do ar ao redor dela. Ela suportará a temperatura alta sem problemas, contato que haja umidade no ambiente.
  • Adubação e substrato

Requer mais adubo do que as demais orquídeas, porque suas raízes são aéreas e seu caule precisa crescer para uma nova floração. O adubo deve ser do tipo foliar, e devido ao grande número de florações no ano, deve conter maior teor de fósforo, tipo 15-30-20. É aconselhada adubação semanal ou no mínimo quinzenal, usando adubo foliar diluído e aplicando diretamente nas folhas e raízes.

Diferente das demais orquídeas, elas podem e devem ser adubadas quando estão floridas, somente deve haver cuidado para não atingir as flores. Lembrando que, nunca se deve adubar em pleno sol, opte sempre pelo início da manhã ou fim da tarde.

A Vanda dispensa substrato, ela gosta de suas raízes limpas e soltas. Você pode deixá-la pendurada, ou amarrá-la num tutor vivo (árvores em geral) ou em pedaços de madeira. Neste caso, fixe-a voltada para o lado norte. Se for plantar em vaso ou cachepô de madeira, ele deve servir apenas de base e não deve ter substrato. Atenção: nunca enterre as raízes.
  • Curiosidades

Depois de abertas, as flores continuam a crescer. Você pode observar que a primeira flor que abriu chega a ter uma diferença de 2 a 3 cm em relação a que abriu mais recentemente. O número e tamanho das flores também varia de acordo com a idade da planta. As primeiras floradas são de 5 a 9 flores, já a partir da quinta, ela pode atingir até 20 flores com tamanhos bem maiores que as da primeira florada.

©Viveiro Renascer 2017; Todos Direitos Reservados